Bate papo com Dr. Jairo Bouer


Jairo Bouer


Tenho 19 e estou com HIV. É possível a transmissão do vírus caso eu ou ela machuque a boca na hora do beijo. E se eu fizer sexo oral nela, corro o risco de transmitir o vírus?

O beijo não transmite o HIV, já que a saliva não é uma forma eficaz de transmissão do vírus. No entanto, se algum dos dois estiver com uma lesão na boca, que provoca sangramentos, então alguns cuidados são necessários. No sexo oral, o mais recomendado é o uso de proteção, certo?

Há alguns meses tive uma relação de risco. Quando havia passado um mês e meio, comecei a me sentir mal: dores pelo corpo, dor de cabeça, dor de ouvido e garganta. Meu médico constatou ser sinusite, mas fiquei receosa de ser HIV. Depois de quase três meses, fiz o exame de HIV, que deu negativo. Esses sintomas podem estar ligados ao HIV? Qual a possibilidade de esse exame ter resultado falso-negativo?

Esses sintomas que você relata são muito inespecíficos, ou seja, podem acontecer em vários tipos de infecção (dores pelo corpo, dor de cabeça, dor de ouvido e garganta). Seu médico inclusive detectou uma sinusite e prescreveu medicamentos!
Por via das dúvidas, você fez um teste de HIV, que deu negativo (com 12 semanas, a maior parte das pessoas que se contaminam já manifesta anticorpos, que podem ser detectados pelo teste).
Você parece estar um pouco preocupada demais com essa situação, mas suas chances de ter se contaminado são bem pequenas. Use camisinha daqui para frente em todas as transas e se quiser converse mais com um especialista a esse respeito
(alguns pedem para repetir o teste com 6 meses ou com um ano da relação suspeita, só para eliminar qualquer dúvida).

Se um pernilongo sugar o sangue de um soropositivo e em seguida picar outra pessoa, há risco de contaminação? E se matarmos o mosquito e entrarmos em contato com o sangue que ele sugou anteriormente?

Pode ficar tranquilo em relação aos mosquitos. Até hoje não há nenhum caso descrito de transmissão do HIV por vetores como pernilongos, carrapatos, moscas ou outros tipos de insetos. O único jeito de se contrair o HIV é entrando em contato direto com secreções contaminadas, como sêmen, fluido vaginal, leite materno ou sangue.

No começo do ano me envolvi numa relação sexual de risco. Após alguns sintomas nas semanas seguintes (manchas na pele, tosse e dor de garganta) procurei um infectologista. Ele me mandou fazer o teste para HIV – fiz três testes, um a cada dois  meses, todos dando resultado negativo. O infectologista foi embora da minha cidade e estou sem informações. Posso confiar nos resultados dos testes?

Como todos os exames estão com resultados negativos depois de seis meses da relação suspeita, a chance de você estar contaminado é mínima.
De qualquer forma, vale a pena se cuidar sempre daqui para frente e, só para ficar ainda mais tranqüilo, se quiser, pode repetir um teste um ano após a relação de risco, ok?

Jairo Bouer é médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo com residência em psiquiatria no Instituto de Psiquiatria da USP. Referência no Brasil, para o grande público, quando o assunto é saúde e comportamento jovem, atendendo a dúvidas através de diferentes meios de comunicação.Faz palestras em todo o País, em escolas, universidades, empresas e grandes eventos abertos à população.

Anúncios
Esse post foi publicado em Programa Mundo Jovem. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s